Escolha uma Página

A apresentação do Duofel no Jazz Panorama ao Vivo aconteceu no Teatro Deodoro

No dia 3 de outubro os fãs do jazz e amantes da boa música tiveram mais um encontro marcado com uma grande atração artística trazida pela programação do Jazz Panorama ao Vivo: a dupla de violonistas Duofel, formada por Luís Bueno e Fernando Melo. O show aconteceu no Teatro Deodoro e contou com a participação do Clube do Jazz de Maceió, banda liderada pelo contrabaixista Felix Baigon. Como em todas as suas edições, espetáculo foi apresentado pelo criador do Jazz Panorama, Juan Maurer, que já mais de 30 anos compartilha seu conhecimento e discoteca jazzística com o público alagoano. 

A abertura do show foi feita pelo Clube do Jazz, com Felix Baigon no contrabaixo, Jailson Britto no sax, Jiuliano Gomes no teclado e Allysson Paz na bateria. Em seguida, a dupla Duofel apresentou alguns números entremeados com um bate-papo com Juan Maurer sobre sua trajetória musical e curiosidades de seu repertório. Na última parte do espetáculo, o Clube do Jazz juntou-se ao Duofel nos números finais. Foi mais uma noite memorável para o público que vem prestigiando as edições do Jazz Panorama ao Vivo. 

DUOFEL – 40 ANOS COM MUITA PERSONALIDADE

O paulista Luís Bueno conheceu o alagoano Fernando Melo em 1976, quando tocavam guitarra e baixo, respectivamente, na banda de rock progressivo Boissucanga. A afinidade da dupla se aprofundou quando eles se lançaram num projeto em que mergulharam em ritmos brasileiros, viajando durante meses pelo interior de Pernambuco, Paraíba e Alagoas, pesquisando manifestações folclóricas e musicais como o baião, maracatu e a embolada. Em 1978 já formavam uma dupla voltada à música instrumental com personalidade própria., o que se tornou a base para uma sólida carreira e obra, de grande relevância no cenário musical no Brasil e no mundo.

Durante seus anos de estrada o Duofel experimentou também produtivas parcerias com grandes nomes como a cantora Tetê Espíndola, o compositor e pianista vanguardista Arrigo Barnabé e o percussionista paulista João Parahyba – que participou de “As cores do Brasil”, primeiro álbum da dupla, gravado em 1990 na Alemanha. Também trabalharam como percussionista indiano Badal Roy e o gênio alagoano Hermeto Pascoal, que virou um padrinho do Duofel em 1993. Pascoal foi responsável pelos inventivos arranjos do álbum “Kids of Brazil”, gravado pelo Duofel nos Estados Unidos em 1996.

A maior conquista do Duofel durante sua trajetória na opinião de Bueno, foi se dar o direito de abordar qualquer gênero musical, sempre adotando uma linguagem própria. Não foi à toa que, para gravar “Duofel Plays The Beatles” (2009), o disco mais popular lançado até hoje pelo duo, ele e Melo esperaram mais de uma década até imprimir a assinatura musical da dupla nesse projeto de releituras de sucessos do quarteto britânico.

Em 2018 o Duofel comemorou 40 anos de carreira com os seguintes números: 150 composições editadas, sete trilhas sonoras, treze álbuns e três DVDs, em um ambiente em que sempre se sentiu muito à vontade: tocando ao vivo. E, como costuma fazer sem seus projetos, não dispensa a companhia inspiradora de antigos e novos parceiros. 

Veja a Galeria de fotos do evento (©Ricardo Ledo)

Share This